BOLAS DE SABÃO

 

Sopradas de ar

Descem…

Bailando,

Suaves,

Redondas,

Leves…

 

Pintadas de luz

Brilham…

De azul,

Turquesa,

Magenta,

Dourado,

Prateado,

Preto…

 

Saltamos

Para as agarrar

E desfazem-se na mão,

Frágeis,

Em breves salpicos

De água e sabão…

 

Sopradas de ar

Sobem…

Sobem,

Sem ninguém as apanhar,

Até ao mundo dos sonhos;

Arrastadas pela brisa

Que também gosta de brincar!

 

poema de Alice Cardoso